8 de março de 2017

Dia Internacional da Mulher: comemoração de um movimento


"Sou a história repetida, eu já vivi outras vidas,
eu já fui outras mulheres, antes de ser a que sou (...)"

- Odilon Ramos.

Ser mulher nesse mundo, em qualquer tempo, em qualquer lugar, nunca foi fácil, e ainda há quem diga que somos o sexo frágil.

Neste Dia Internacional da Mulher, abordaremos um assunto um tanto quanto polêmico, porém, necessário para acabar com algumas dúvidas e trazer mais informações.

Mas primeiro, que tal falarmos sobre o significado desse dia? Segue abaixo:

Imagem: Chocolla
O Dia da Mulher se iniciou com as mulheres Americanas e Europeias, que lutaram contra as degradantes jornadas de trabalho de 15 horas e as discriminações vividas desde aquela época. Foi no ano de 1908, nos Estados Unidos, que foi comemorado o primeiro Dia Nacional da Mulher.  

No dia 8 de março de 1917, durante a Primeira Guerra Mundial, as mulheres Russas fizeram uma manifestação buscando melhores condições de vida. Essa manifestação ficou conhecida como "Khleb i Mir (Pão e Paz)", e foi devido a esse marco, que se foi criado o Dia Internacional da Mulher, porém, foi somente em 1921 que esse dia foi oficializado.

A Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu o dia apenas no ano de 1977, após um grande número de feministas nos anos 60 promoverem movimentos recuperando a visibilidade do dia que havia ficado esquecido por anos.

Porém, em 1975 foi comemorado o Ano Internacional da Mulher, que com toda certeza deu o estopim para a ONU reconhecer o dia, considerando que desde 1945, eles já haviam assinado um acordo internacional que reconhecia os princípios de igualdade entre homens e mulheres, porém, nada havia sido feito sobre esse dia.

Imagem: Google
Depois de tudo isso, o dia virou não só uma simples comemoração, mas sim, um dia em que as lutas das mulheres têm uma maior visibilidade, tornando o dia em um movimento, em que buscam igualdades ainda maiores e fortes.

Já no Brasil, a força das mulheres chegou um pouco mais tarde, apenas no ano de 1932, o movimento das sufragistas conseguiram obter o direito de votar, direito esse, que foi garantido na Constituição promulgada pelo Presidente Gaúcho, Getúlio Vargas.

Foi somente a partir do ano de 1970 que começou a existir discussões sobre igualdade de gêneros, sexualidade e a saúde da mulher.

Em 1982 o movimento feminista começou a ter um importante diálogo com o Estado, fundando assim, o primeiro Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, a primeira Delegacia Especializada da Mulher.  

Imagem: Universidade Livre Feminista
Porém, foi somente em 2006 que foi criada uma lei especial em defesa da mulher, a lei Maria da Penha, e em 2015, surgiu à lei do Feminicídio, que veio dar uma pena maior para aqueles que cometem o crime de homicídio contra uma mulher, sendo considerado assim, um crime hediondo.

Bom, agora que já sabemos um pouco mais sobre esse dia e o que ele significa, vamos falar de assuntos ainda mais importantes, que são: Feminicídio, Femicídio, Feminismo e Femismo.

Quatro palavras com quatro significados diferentes, mas que tratam sobre o mesmo assunto:SER MULHER.




FEMINICÍDIO


O feminicídio foi incluído nos crimes de homicídio qualificado, criado para dar uma sanção maior para homens que matam uma mulher pelo simples fato dela ser da condição feminina, como pode ser visualizado no artigo 121, § 2º, VI do Código Penal Brasileiro.

No § 2º-A, especifica quais são as razões consideradas nestes casos, sendo eles: Violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Imagem: Debate com Café

Por ser um crime qualificado, a pena base já parte de uma base maior do que um homicídio simples, porém, ainda há agravantes, ou seja, o aumento de pena. No artigo 121, § 7º, I, II, III, diz que a pena é aumentada de 1/3 até 1/2, quando o crime for praticado durante a gestação, ou até os três meses após o parto, contra uma garota menor de 14 anos ou uma senhora maior de 60, ou que a vítima contenha alguma deficiência. Aah, e também quando for praticado o crime na presença de descendentes ou ascendentes da vítima.

Mas isso só é aplicado em casos em que a vítima foi morta por ser da condição de sexo feminino, por preconceito pela vítima ser mulher.

A lei ainda é muito recente, e por isso, os entendimentos sobre esse crime ainda não possuem opiniões firmadas, porém, já há alguns doutrinadores que já deram seu entendimento, sendo considerado por eles crime de feminicídio quando a vítima é mulher, travesti ou transexual, ou até outros gêneros, desde que perante a sociedade apresentem uma figura feminina.

FEMICÍDIO

Imagem: Google

No feminicídio se estabelece o crime somente para mulheres em condição de sexo feminino, já no femicídio, são consideradas apenas as mortes de mulheres que nasceram biologicamente mulher, e não o gênero que escolherem ser após. Sendo assim, homicídio simples ou qualificado como os outros.

FEMINISMO

O Feminismo é um movimento de mulheres espalhadas pelo mundo todo, que lutam em busca de igualdade entre os gêneros.

Imagem: Mundo de Gaia
Não, elas não buscam ser melhores que os homens, não possuem o pensamento de superioridade, mas sim, de igualdade.
Elas lutam pela conservação e aplicação de seus direitos.

Elas buscam ter o direito de obter os mesmos direitos dos homens, as mesmas oportunidades, sem distinção, sem preconceito, sem diferenças no salário, sem diferenças nos tratamentos, seja no trabalho, na rua ou em casa. Querem que haja mais respeito com as mulheres, que possam ser donas de si mesmas, donas do seu destino, de seu corpo, de suas escolhas, sem qualquer empecilho ou julgamentos.

Imagem: Google

O maior nome do feminismo com certeza é Frida Kahlo, mas outros nomes como Anita Garibaldi, Maria Bonita e Joana d'Arc, entre outras, também fazem parte desse movimento.
São grandes mulheres que fizeram história e tiveram seu pé no feminismo, pois não se deixaram abater e não baixaram a cabeça em momentos onde a sociedade via somente os homens. Mais um exemplo que podemos citar é Marilyn Monroe, que vivia como queria, da forma que queria, sem ligar para a opinião alheia.

FEMISMO

Imagem: Bule Voador

Enquanto o feminismo luta pela igualdade, o femismo é o seu contrário.
Possui pensamentos totalmente inversos e procuram rebaixar os homens.

Podemos dizer que é o machismo inverso, em que as mulheres possuem o pensamento de que o sexo feminino é superior que o sexo masculino. Vivem com o pensamento de que o homem deve ser dominado pela mulher, é um  preconceito contra homens.

Bom essa matéria ficou um tanto longa, porém, acho que deu para mostrar as diferenças entre os termos, que muitas vezes acabam sendo confundidos.



Espero que tenham gostado desse post especial pelo Dia Internacional da Mulher.

Enfim, a você leitora desse cantinho, desejamos um Feliz Dia Internacional da mulher, porém, nunca se esqueça de que na verdade, o nosso dia, são todos os dias.

 Deixem nos comentários o que acharam sobre a matéria, e o que pensam sobre esses assuntos. Vou adorar acompanhar.



E-mail: martinabaptista@gmail.com


Hasta luego, beijos de luz da Tina!

2 comentários:

Amanda Paz Vieira disse...

Oi! =)
Adorei o seu post, bem útil. Feliz dia da mulher pra você também!!!

Beijos, quebrarosilencio.blogspot.com ❥

Martina B. Silveira disse...

Olá Amanda! Que bom que gostou, fico feliz que acho proveitoso meu post! Abraços! :*

© BLOg gisele ovitski - 2016. Todos os direitos reservados.
DESIGN E PROGRAMAÇÃO por: TRIZZ DESIGN.
imagem-logo